Como Você usa Energia Elétrica? Aprenda a Maneira Correta

Energia_Eletrica

Quando pensamos no nosso consumo de energia, nem sempre nos damos conta da maneira como fazemos isso. Será que estamos usando de maneira consciente ou desperdiçando sem necessidade?

Sabia que a maneira como agimos afeta diretamente o planeta? É preciso agir, e rápido, pois o único jeito de deixar o planeta na forma como conhecemos para as próximas gerações é por meio da preservação e sustentabilidade.  Além disso, usando a energia de maneira consciente economizamos nas contas de energia futuras. 

Não dá pra negar que utilizamos energia em praticamente todas as atividades do nosso dia a dia. Por isso, pensar em como usamos a energia elétrica é tão importante para, a partir daí, transformar em hábitos, atitudes que reduzam esse consumo. Ajuda o planeta e as finanças.

Confira também: Como Aproveitar a Energia Solar

Energia_Eletrica

Como é gerada energia elétrica

Hoje, no Brasil, a água é a maior fonte energética. Como afirma, Reive Barros, secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia, quase 64% da energia que recebemos provém das hidrelétricas. Nessas usinas a força da água é utilizada como força mecânica que giram turbinas que a transformam em energia elétrica.

Atualmente, é sabido que, diferente do que se pensou durante muito tempo, as usinas hidrelétricas não produzem energia limpa. Isso porque diversos problemas ambientais são iniciados já no momento da construção da usina: desmatamento; produção de metano por causa das árvores derrubadas que apodrecem debaixo d’água; e risco de inundação, desequilibrando a flora e fauna.

Segundo Dr. Philip Fearnside, professor e pesquisador em Ciências Biológicas que estuda os impactos causados por esses tipos de usina, há muita liberação de metano no processo. Conforme ele explica, as turbinas retiram água contaminada (por causa das árvores derrubadas que apodrecem) do fundo do lago, ocasionando a emissão do gás, que é liberado ao ar livre. E, como sabemos, tal gás é um dos responsáveis pelo efeito estufa.

As hidrelétricas também não dão conta de abastecer a demanda todos os dias durante todos os meses do ano. Isso porque, nas épocas de estiagem, os reservatórios diminuem drasticamente a quantidade de água. Ou podem até mesmo esvaziar. Nestes casos, são acionadas as termelétricas.

As usinas termelétricas utilizam, principalmente, diesel como fonte de energia. Isso quer dizer que foi preciso transformar o petróleo em diesel e depois queimá-lo, transformando-o em energia elétrica. Como consequência temos uma emissão de gases poluentes ainda maior. Além de gastos mais altos.

Uma exemplificação para entender, de maneira simplificada, os gastos mais altos, é o acionamento das bandeiras amarela e vermelha. Elas são indicativos de que taxas adicionais serão somadas a cada kw/h que consumimos. Todos sabemos que nessas épocas, o valor que pagamos pode até dobrar.

Então o que fazer?

Exemplos de energia limpa, energia “verde”, são a eólica, que é gerada a partir do vento. Nesse caso, ele é usado para produzir energia mecânica por meio de moinhos e depois é transformada em energia elétrica. E a energia solar, conseguida a partir do sol. Esta pode ser gerada a partir da captação da sua luz e/ou calor.

Apenas a nível de esclarecimento, chamamos assim (energia limpa e verde), porque a emissão de poluentes no meio ambiente é nula. E a fonte energética (vento e sol) são renováveis. Soma-se a isso o fato de serem sem custo, já que estão disponíveis inesgotavelmente na natureza.

Outro fato relevante que devemos ter em conta, é que, no Brasil, em questões geográficas e climáticas, somos muito privilegiados caso optemos pela instalação de um serviço de energia solar, seja em casa, na indústria ou comércio. Ademais os custos para instalação e manutenção estão cada vez mais acessíveis. É um investimento que vale a pena, pois traz muitos benefícios a longo prazo.

Tomando como base de análise dados apresentados em janeiro de 2020 pela Greener, empresa que atua nas áreas de pesquisa e consultoria, o consumidor está pagando aproximadamente 9,3% a menos nos valores da instalação dessa tecnologia. A empresa já vem apresentando quedas nos preços desse mercado há alguns anos consecutivos. 

Os projetos, claro, são únicos e contam com muitas variáveis que influenciarão na sua cotação. Desde consumo energético até localidade geográfica ou angulação do telhado. Mas há uma estimativa de que a partir de R$12.120,00 é possível adquirir o sistema solar para sua residência. Outro dado importante a ser exaltado é a economia no custo da energia de até 95% do valor gasto com energia distribuída pela concessionária.

Também é importante citar que tanto os bancos públicos quanto os bancos privados estão com mais de 70 linhas de créditos para financiar seu projeto de energia solar. Com todas essas informações, não dá mais pra não pensar sobre o uso de energia elétrica.

Mas o que fazer se não tenho condições de implantar o sistema de energia solar? 

Caso você não tenha condições, no momento, de adquirir seu sistema de energia solar, separamos algumas dicas para usar energia de maneira consciente. Antes de tudo, ressaltamos que o primeiro passo é refletir sobre o próprio uso: se realmente é necessário; e se for, qual a maneira mais eficiente de uso. Vale lembrar que pequenas mudanças de atitudes se repetidas, se tornam hábitos e passam a ser natural na nossa rotina.

A primeira dica é buscar informações acerca da otimização do funcionamento dos eletrodomésticos no momento da compra. Porque isso, com certeza, influenciará num melhor desempenho e, por consequência, num gasto menor (ou maior) de energia, que estará em concordância com a projeção do fabricante. Essas informações estão etiquetadas no aparelho e contam com a supervisão de órgãos governamentais.

As geladeiras, por exemplo, devem ser instaladas em um locar fresco e arejado. Não deve estar sob a incidência de luz solar ou muito próxima de fontes de calor como fogão. Quando se encontra nessas situações, ela necessitará de um consumo maior de energia para se manter refrigerada.

A segunda dica é relacionada à manutenção periódica. É fundamental, para o bom funcionamento e rendimento de qualquer eletrônico. Citando outra vez a geladeira como exemplo, é importante verificar se as borrachas mantêm a boa vedação, pois se estão velhas, ressecam e não impedem a entrada e saída de ar.

A manutenção do ar-condicionado também é importantíssima se objetivamos a máxima eficiência. É essencial para o seu perfeito (e econômico) funcionamento, pois o filtro sujo diminui o fluxo de ar, aumentando o consumo de energia e ainda podendo provocar superaquecimento, e ainda diminui a capacidade de resfriamento.

A terceira dica diz respeito às lâmpadas. Estas são responsáveis por mais ou menos 25% dos gastos mensais com energia elétrica. O mais correto é que sejam trocadas as lâmpadas incandescentes pelas fluorescentes ou de LED. As últimas são muito mais econômicas, duram mais, iluminam mais e são compactas.

Suas atitudes contribuindo para o uso consciente de energia

É importante levar em consideração o uso consciente de energia. Principalmente ao reformar ou construir uma casa. Os benefícios do aquecimento solar, como já mencionados, são muitos. A começar pela grande redução do valor gasto com energia elétrica mensalmente. Soma-se a isso o impacto negativo nulo no meio ambiente decorrente do processo de geração desse tipo de energia. Trata-se de uma energia sustentável.

Pensar sobre e pôr em prática o uso consciente de energia reflete diretamente no nosso bem-estar, visto que colabora para a preservação do planeta, diminuindo impactos ambientais e criando alternativas sustentáveis. E traz benefícios à economia doméstica, já que os gastos diminuirão assustadoramente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *